Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]


     A propósito de um post da R., pus-me a pensar naquilo que é a moda, o bom gosto, o sentido estético e essas tretas todas.

    De há uns tempos para cá, talvez há uns três ou quatro anos, comecei a desenvolver o gosta pela moda. Comecei a apreciar a alta costura, a roupa de designers, o que as celebridades vestem, o que é dito estar in e out, e tudo isso que até então era desconhecido. Isso fez com que eu própria reflectisse sobre aquilo que usava, e o meu estilo foi começando a tornar-se um bocadinho, como hei de descrever... polido, talvez. Consigo apreciar peças diferentes, pôr a pontinha do pé fora da minha antiga zona de conforto e arriscar um bocadinho. No entanto, as minhas inseguranças interiores fazem com que não arrisque tanto como poderia e como gostava. 

     Leio blogs, revistas e essas coisadas todas e uma coisa é certa: estar na moda não é vestir o conjuntinho acabado de desfilar da Dior, ou seguir à risca o que dizem as revistas. Não é ser com X, Y ou Z, só porque são giríssimas e têm roupa que, mesmo trabalhando uma vida inteira, não vamos conseguir pagar. Acho que acima de tudo é estarmos confortáveis com aquilo que vestimos e com aquilo que somos. 

    A grande parte de nós tem ícones de moda, porque de uma maneira ou de outra, nos identificamos com alguém, e até podemos aproveitá-las como inspiração, mas de que nos serve isso, se chegarmos a casa ao fim do dia e formos extremamente infelizes? 

    Apesar disto tudo, podemos estar confortáveis e felizes, mas às vezes é mesmo preciso olhar ao espelho. Podemos estar a vestidas a 100% com coisas com as quais nos sentimos bem, mas, querendo ou não, há coisas que, aos olhos da grande maioria da população, não fica bem. Isso secalhar quer dizer alguma coisa. Nesses momentos acho que é preciso olhar para nós e analisar se não caímos no ridículo. 

   Rídiculo não é vestir mais do que três cores ao mesmo tempo, não é não combinar os sapatos com a mala, não são essas "regras" todas. Não consigo definir o que é o Ridículo, mas há coisas bem mais simples que nos fazem cair nele. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado às 17:30


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.



Sobre Mim

foto do autor


25 anos
(quase) Veterinária
Este é o meu diário online que me acompanha desde 2011.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D